História de Aruanã

Breve relato histórico sobre a origem da cidade de Aruanã

Paulo Valério da Silva

Paulo Valério da Silva

Prefeito

Laécio Pinheiro de Souza

Laécio Pinheiro de Souza

Vice-Prefeito

Gestão 2013-2016

Aruanã é um município brasileiro do estado de Goiás. O município de Aruanã está inserido na microrregião do Rio Vermelho, com uma área de 3.180,00 km², que representa 0,93% da área total do Estado. Localiza-se entre os paralelos 14º06’13’’ e 15º19’21’’ de latitude Sul e os meridianos de 50º44’18’’ e 51º10’20’’ de longitude Oeste de Greenwich. A sede municipal está a 215 metros de altitude, com sua posição geográfica determinada pelo paralelo 14º55’14’’ de latitude Sul em sua interseção com o meridiano 51º04’48’’ de longitude Wgr. Limita-se ao Norte com o Estado de Mato Grosso e o município de Nova Crixás; ao Sul com os municípios de Matrinchã e Itapirapuã; a Leste com os municípios de Mozarlândia, Araguapaz e Matrinchã; a Oeste com o município de Britânia e o estado de Mato Grosso.

Na confluência do Rio Vermelho com o Rio Araguaia encontra-se a cidade de Aruanã, cuja história esta marcada pela Fundação do Presídio Militar de Leopoldina, na primeira metade do século XIX, em atendimento a Lei Imperial de 29 de Janeiro de 1849, cujo nome foi lhe dado em homenagem à esposa do Imperador D. Pedro I. O presídio foi construído no local denominado “Porto Manoel Pinto”, pelo Doutor em Matemática João Batista de Castro Moraes Antas, no governo provincial do Dr. Eduardo Olimpio Machado. Em 1853, o presídio foi destruído pelos índios Carajás e restabelecido em 1855, no local designado Lago dos Tigres (hoje município de Britânia). No ano seguinte, foi novamente removido para o local anterior, com o nome de Santa Leopoldina, devido advento religioso da época.

Em 1939, o povoado foi elevado à condição de distrito de Goiás, situação em que permaneceu até 18 de Dezembro de 1958, quando pela Lei Estadual de número 2.427, foi elevado à categoria de município, sendo instalado em 1º de janeiro de 1959, com o nome de Aruanã, cuja toponímia é de origem indígena (dança antiga praticada pelos índios Carajás e de um peixe lacustre da região). Hoje, sem uma política social adequada, esta tribo que muito influenciou na formação cultural do município, encontra-se muito reduzida, restringindo-se a uma população de aproximadamente 50 índios.

Possui densa drenagem formada por curso d’água predominante perene, que constitui nesta área a bacia hidrográfica do Rio Araguaia, tendo como principais afluentes os rios Vermelho e do Peixe; os ribeirões Pinguela e da Estiva e os córregos da Voadeira, do Garrafão, Dois Irmãos e do Esgotão. Além da formação de diverso lagos e lagoas, propiciado pelos terrenos baixos da planície do Araguaia. É caracterizado pelo clima tropical úmido (Aw de Koppen), apresentando uma temperatura em torno de 27°C com duas estações bem definidas; seca e chuvosa, com chuvas regulares no período de outubro a março. Esse tipo de clima propicia a formação de uma cobertura vegetal, constituída na sua maior parte por campos e cerrados, cedendo lugar às lavouras e pastagens, notando-se também a existência de matas ciliares em área de solo bastante fértil.

A estrutura geológica do município é marcada pela presença do complexo Goiano, cobrindo a maior parte do território. Suas rochas são datadas da Pré-Cambriano Inferior. Grande parte do município localiza-se no que se denominada Peneplanície do Araguaia. São terrenos Topograficamente baixos, atingindo uma altura média entre 240 e 290 metros. As áreas mais elevadas encontram-se a sudoeste do município, como o Morro das Éguas, Morro do Chupador, Serra do Pindaibal e Serra do Lambari, aonde a altura chega a 558,00 metros. Predominantemente, na maior parte do município de Aruanã, são solos aluviais, seguidos do Latossolo Vermelho-Amarelo. As aptidões agrícolas deste solo baseiam-se em práticas tecnológicas de alto nível e aplicação intensiva de capital. Sendo essas regulares às culturas de ciclo curto e restritas às culturas de ciclo longo.

O município de Aruanã é a principal porta de entrada para o turismo no Rio Araguaia, um dos mais belos rios do mundo. Além disto, oferece a pesca abundante e lazer em suas lindas praias que atraem centenas de turistas em época de temporada (Julho a Setembro), período esse em que a população flutuante alcança níveis elevados. Essa atividade constitui-se num incremento à economia municipal que é baseada na agricultura, com destaque na pecuária de corte.

Prefeitos de Aruanã